Cuidados com a publicidade de produtos infantis no YouTube



A publicidade de produtos infantis hoje preenche um espaço muito atual: a Internet. O surgimento das redes sociais trouxe várias possibilidades de interação e fonte de informação para as pessoas que acessam. Para crianças e adultos, o mundo existente no YouTube, por exemplo, virou fonte de entretenimento e até mesmo de trabalho.

O poder de influência que as mídias têm sobre as pessoas e as suas escolhas não é novidade há muito tempo. O que a internet fez foi diminuir as barreiras de acesso à informação e aproximar esses recursos a todas as idades.

>>Saiba como promover ações para publicidade de produtos infantis sem ferir valores éticos ou mesmo legais.

Como acontece a divulgação dos produtos infantis:

Os Youtubers são aqueles que postam vídeos com frequência, já carregam um público específico e com um estilo consolidado. Atualmente, as crianças ocuparam também esse espaço, inserindo aquilo que faz parte do universo delas.

Nos vídeos são expostas brincadeiras entre mães e filhos, entre crianças ou apenas o dono do canal em questão. As crianças falam sobre coisas que gostam, brincadeiras e produtos preferidos.

A publicidade infantil encontrou nesse universo uma ótima oportunidade de propaganda e aproximação com o seu público-alvo. O problema é que as crianças não têm maturidade suficiente para distinguir as coisas. Em razão disso, o seu objetivo deve incluir também a opinião dos responsáveis pelos pequenos.

Os pais ou demais responsáveis têm em si o real poder de compra nesse quadro, além da demanda de orientar e supervisionar o que os filhos absorvem para que a criança não desenvolva um pensamento consumista.

O que fazer para evitar problemas

O Estado garante proteção a crianças e adolescentes pela lei contra publicidades abusivas. As propagandas para adultos em vídeo são muito comuns, mas quando isso é feito para crianças os cuidados são muitos.

Qualquer publicidade que contribua para o consumismo infantil fere a lei de proteção a crianças e adolescentes. Primeiro, é preciso respeitar a imagem desse menor de idade e a sua vulnerabilidade.

Tenha muito cuidado com a linguagem adotada para com esse público e evite o uso de verbos imperativos, tais como “compre”. Não utilize a voz ou imagens de personagens de desenhos animados para incentivar a compra.

Se necessário, procure orientação jurídica com especialistas antes de lançar a campanha e enviar os produtos.

Lembrando que estamos abordado um grupo que está em seu processo de desenvolvimento, portanto devem ser evitados discursos que deturpam valores ou apresentem qualquer teor preconceituoso.

Um outro aspecto a ser respeitado é a alimentação saudável, as crianças não devem sofrer influências que atrapalhem a manutenção de bons hábitos. Bem como não devem ser inferiorizadas se não possuírem o produto em questão.

Viu como é importante tomar precauções na hora de lidar com a publicidade de produtos infantis? As empresas devem tomar muito cuidado ao implementar estratégias para que os direitos das crianças não sejam violados nem ocorra publicidade abusiva.

Se você gostou deste contéudo, não deixe de ver estes outros temas: 

E-book gratuito: Como relacionar a sua marca com influenciadores digitais

Marketing Digital: Entenda por que ele é essencial para sua empresa

Para que serve e como usar corretamente uma Hashtag

Etiqueta Digital: Cuidados para você não cometer gafes no perfil de sua marca (Facebook, Linkedin, twitter e instagram)

Como repostar conteúdos respeitando os Direitos Autorais

Unboxing Branding: uma experiência memorável para a sua marca