Mudanças na Composição Familiar e impacto nas embalagens de alimentos



Ao longo dos anos, as composições familiares se transformaram em todo o mundo. As famílias, que antes eram formadas por pai, mãe e filhos, hoje apresentam as mais diversas formações. Essas mudanças influenciaram em uma série de alterações de fatores, como a representatividade dessas famílias em programas de televisão, campanhas publicitárias e filmes. No mercado, as mudanças na composição familiar também representaram uma evolução por meio do impacto nas embalagens de alimentos.

Hoje iremos falar sobre como essas mudanças influenciaram na indústria de alimentos embalados. Saiba mais!

Mudanças na composição familiar 

São diversas as mudanças vivenciadas na composição de famílias ao longo dos últimos anos. O que se tornou uma tendência em forte crescimento, no entanto, foi a redução do número de pessoas que compõem uma família. Se anteriormente era comum um casal ter mais que cinco filhos, hoje, dificilmente encontramos uma família com mais de duas crianças. A redução do número de filhos influencia diretamente na quantidade de pessoas que vivem na mesma casa e, consequentemente, que dividem os mesmos alimentos.

Da mesma forma, a composição de casal e filhos também se tornou mais variável. Hoje existem diversas famílias compostas por mães ou pais solteiros, crianças criadas por avós, casais héteros ou homossexuais, sozinhos ou com filhos e, até mesmo, pessoas que vivem sozinhas.

Foi pensando em alterações como essas que a indústria de embalagens de alimentos absorveu para si os impactos das mudanças na composição familiar.

Saiba mais no artigo: Como as tendências de consumo se materializam no dia a dia das famílias

Impacto nas embalagens de alimentos 

Com a percepção das mudanças na composição familiar, as embalagens de alimentos sofreram os impactos necessários para continuarem se adequando à realidade dos consumidores. O aumento do número de embalagens que proporcionam o consumo individual ou para poucas pessoas é um reflexo dessas mudanças. Com a redução do número de entes familiares, muitas marcas optaram por oferecer versões individuais, ou em menor quantidade do produto, de modo a atender as famílias menores e as pessoas que vivem sozinhas.

Outra característica observada nessa mudança é a criação de embalagens com a tecnologia “abre e fecha”. Partindo do mesmo pressuposto da redução das embalagens, elas permitem ser abertas e fechadas para guardar o restante do produto não consumido, ou seja, também se adaptam às novas composições familiares.

Alguns exemplos são as embalagens de pedaços de frango que, embalados individualmente, permitem o consumo apenas da quantidade necessária no momento. Isso também acontece com as latas de extrato de tomate, que com a mudança de tampa permitem ser guardadas quando o conteúdo inteiro do produto não é utilizado.

Obviamente, a redução não é o único impacto nas embalagens de alimentos causado pelas mudanças na composição familiar. Algumas marcas também optam por oferecer uma diversificação maior, relacionada ao número de pessoas de uma família que irá consumir um produto. Isso explica o motivo de algumas marcas de refrigerantes investirem na produção de garrafas de até 3,3 litros nas épocas de festas de fim de ano. Isso ocorre justamente devido à previsão da reunião familiar, em que demais membros podem dividir o produto.

Desta forma, portanto, as embalagens têm se transformado constantemente de acordo com as mudanças que ocorrem na sociedade. Além do tamanho, as mudanças estão relacionadas ao design e disposição de informações nos rótulos.

Acesse mais publicações no blog e confira as tendências atuais de embalagens.