Gráfica Digital X Gráfica Industrial - Como escolher



Quando há necessidade de imprimir materiais gráficos, especialmente se for em larga escala, é comum ter uma dúvida entre a gráfica digital e a gráfica industrial, dois tipos diferentes de impressão que podem atender à demanda. É comum, inclusive, que uma mesma gráfica ofereça essas duas categorias, portanto, para saber qual é a melhor decisão para garantir um bom custo-benefício, saiba mais sobre cada uma delas.

Gráfica digital 

A principal vantagem da impressão digital é a sua característica express, por isso, caso você tenha um projeto para entregar em um espaço de tempo muito curto, provavelmente essa é a solução mais inteligente, desde que sejam observados alguns aspectos. Para esse tipo de impressão, são utilizadas impressoras ou copiadoras a laser, muito similares às que as pessoas têm em casa ou no escritório, porém, em tamanhos maiores, que permitem formatos diferentes do tradicional A4.

Gráfica industrial

Também conhecida como offset, a impressão industrial já é um pouco mais complexa e, por isso, demanda mais tempo. O processo conta com máquinas enormes, que imprimem uma média de 7 mil folhas por hora. Mas não é só isso, todo o procedimento é diferenciado: a imagem que será impressa primeiramente é queimada em uma placa de alumínio (gravação de chapa), depois disso é transferida para uma manta de borracha e só então vai para a superfície do papel.

Por ter esse ajuste personalizado de acordo com cada material, a impressão offset permite uma quantidade maior de acabamentos e cores, por isso, é a mais utilizada para livros, revistas, encartes e similares. Por outro lado, essa personalização também faz com que o processo seja mais demorado, portanto, caso você opte por esse tipo de impressão, é importante deixar o arquivo na gráfica com alguns dias de antecedência para garantir que estará com o material pronto em mãos dentro do prazo necessário.

Flexografia

Uma das técnicas mais precisas adotada em gráficas industriais é a flexografia: consiste em um tipo de impressão feita com uma chapa em relevo. Essa chapa é feita de borracha, chamada clichê. Outro componente importante desse sistema são tintas fluidas de rápida secagem. O mecanismo basicamente é o seguinte: a área que deverá ser impressa é feita em relevo, por isso, quando ela recebe a tinta, o restante da superfície está em um nível mais baixo e não recebe essa tinta. Depois disso, a tinta é transferida do clichê para o suporte.

A flexografia é um processo muito utilizado na produção de embalagens de produtos e rótulos, sendo muito eficiente nesse sentido.

Normalmente, na gráfica industrial é possível conseguir preços melhores dependendo da quantidade de unidades, especialmente se forem mais de mil.

Digital ou industrial?

Cada tipo de impressão é a melhor naquilo que se propõe. A gráfica digital é a que melhor atende quem precisa de rapidez e nos casos em que não é necessária uma qualidade visual tão acima da média.

Por outro lado, se para o seu tipo de material ter uma qualidade acima do nível da excelência é fundamental e se você vai imprimir uma grande quantidade, a impressão offset e a flexográfica são opções mais viáveis.

Portanto, não há uma opção melhor do que a outra, tudo depende de qual é a sua necessidade, pois é dentro disso que você poderá avaliar o custo/benefício que cada alternativa oferece.

Quer saber mais sobre materiais gráficos? Confira outras matérias exclusivas sobre o assunto aqui no nosso blog!